Comissariado Arautos do Evangelho - Arautos Ver Julgar e Agir

A carta de um arauto advogado sobre o Comissariado Pontifício para os Arautos do Evangelho

Pareceu-nos interessante trazer aos leitores do blog “Arautos: Ver, Julgar e Agir” a tradução de uma carta enviada por um Arauto Advogado ao vaticanista Marco Tosatti. A missiva faz uma abordagem sobre o Comissariado Pontifício para os Arautos do Evangelho. Abaixo vai o texto em português. Caso queira visualizar a publicação em italiano,  do dia 12/10/2019, você pode clicar aqui.

Comissariado Arautos do Evangelho - Arautos Veja

Cardeal Raimundo Damasceno, o comissário nomeado, recebe a notícia sobre a invalidez do Decreto.

*     *     *     *     *

Você está no blog de Advogados Admiradores dos AE. Receba em primeira mão as principais notícias sobre a perseguição jornalística contra os Arautos, fazendo parte do nosso canal no WhatsApp, clique aqui!

Fala um Arauto do Evangelho sobre o Comissariado…

Caro Dr. Tossati:

Antes de mais nada, gostaria de agradecer a amável acolhida e a recente publicação do testemunho do meu confrade, o que me animou a enviar-lhe o meu. Sou um leigo celibatário, advogado, brasileiro, de 53 anos, e pertenço aos Arautos desde a sua fundação. Ademais, durante um mandato fui secretário geral da Associação.

Estou escrevendo porque, infelizmente, continuam a explodir notícias cheias de invenções fantasiosas a respeito dos “Arautos do Evangelho”, postos contra o paredão das calúnias. Por este motivo proponho algumas reflexões, que tomo a liberdade de compartilhar com o senhor e, se forem do seu agrado, com seus estimados leitores.

Por amor à brevidade vou limitar-me a uma notícia sobre nós: Arautos comissariados: perguntas aos críticos, do Revmo. Pe. Lorenzo Prezzi, SCJ, postada no site Settimana News, conhecido dos frequentadores de Stilum Curiae. O jornalista religioso, no seu doce estilo misericordioso, não teve a gentileza de ouvir a parte acusada, segundo pude constatar por meio de meus irmãos italianos. O Pe. Prezzi, como se sabe, respeita com religiosa reverência certas orientações vaticanas, mas não simpatiza com certos institutos, como os Franciscanos da Imaculada e outros…

***

1) O primeiro deboche do padre dehoniano é a respeito de nosso hábito, considerado por ele como um “uniforme curioso”. No seu “imaginário”, segundo sua própria expressão, o hábito dos Arautos estaria próximo ao traje dos “mosqueteiros”. De fato, compreende-se que alguém não muito afeito a usar vestes religiosas (CIC c. 284) ridicularize um hábito reconhecido pela Igreja e pelo direito próprio (CIC c. 669, §1), o qual, por sinal, tanto atrai a juventude. Talvez bem mais do que as penas amazônicas, tão em moda…

A esse respeito me vem à mente uma pergunta: se os Arautos são a reedição dos “mosqueteiros”, quem será hoje o maquiavélico Cardeal de Richelieu? E quem serão seus malévolos guardas? No fim deixarei uma sugestão de resposta…

2) Em seguida, o Pe. Prezzi “revela” o suposto segredo, ou seja, a instituição da Sempre Viva, que seria algo à maneira de sociedade secreta, destinada a realizar uma espécie de culto aos inspiradores da obra. Em relação a esta questão, nada há de contrário à doutrina da Igreja. Por certo, é preciso lembrar que sobre tal instituição se tratou amplamente no passado e no presente, na coleção, em cinco volumes, O dom de sabedoria na mente, vida e obra de Plinio Corrêa de Oliveira, publicada sem segredos pela Libreria Editrice Vaticana, com mais de 100.000 exemplares impressos de cada volume. Assim, convido o reverendo Padre a informar-se melhor a nosso respeito antes de atirar suas pedras. Quanto ao mais, que sentido tem censurar o culto a pessoas falecidas em odor de santidade, quando hoje assistimos a rituais ancestrais não tipicamente litúrgicos e católicos no próprio Vaticano?

3) O artigo do Pe. Prezzi persiste no realejo difamatório dos exorcismos. Como já pensava São Tomás, as acusações servem para esclarecer a verdade. Ei-la, e espero, de modo definitivo: vale a pena recordar que a maior parte das frases extraídas dos vídeos estão fora de seu contexto. Ora, no caso em questão, tratar-se-ia de supostas afirmações do demônio através de uma pessoa possessa. Pois bem, nesses encontros estavam presentes, na maior parte, clérigos, bem cientes de que o príncipe das trevas é o pai da mentira. Como é sabido, o crédito às supostas declarações deve ser dado com extrema prudência, porque muitas vezes Satanás se transfigura em “anjo de luz” (2Cor 11,14). Ele procura enganar até os santos; tentou fazer suas urdiduras com Santa Catarina de Bolonha, inclusive mostrando-se a ela com a aparência de Cristo.

Para analisar essas vexações e outras mais, na época foi constituída uma comissão de teólogos e canonistas, que acompanhou de perto a questão, bem antes, é preciso dizer, que o vídeo começasse a circular ilicitamente. As conclusões do estudo (todas documentadas e entregues à autoridade eclesiástica competente), aplicando as regras tradicionais de discernimento dos espíritos, foram no sentido de considerar inverossímeis todas aquelas narrações, as quais, portanto, nunca fizeram parte das nossas convicções. Se tivéssemos sido consultados antes da explosão midiática, teria sido evitada a desnecessária confusão na mente do público católico.

Já sobre o milenarismo, proponho que o reverendo sacerdote leia a precedente carta de meu irmão de hábito. Se Bento XVI afirmava que os partidários da “Teologia da Libertação” eram os milenaristas de um passado recente, o que dizer dos sucessores deles, os “ecoteólogos”?

Facta, non verba. O fato evidente para o público católico é que aqueles episódios — que falavam, entre outras coisas, de uma mudança climática e de um suposto futuro pontífice — não influenciaram em nada o comportamento dos Arautos, que continuou a ser o de fazer o bem, com consciência reta e tranquila. Se fosse o contrário, os Arautos não teriam aceitado a visita apostólica ou o comissariado, uma vez que ambos constituem decisões que foram, pelo menos, precipitadas e inexplicáveis. Ou seja, até mesmo em circunstâncias adversas, o amor pela Igreja prevaleceu entre nós.

4) É surpreendente que ainda se queira desenterrar o caso dos Arautos em Sucumbíos, no Equador, um vicariato apostólico na região amazônica, depois de quase dez anos, e justamente durante o Sínodo. Tudo providencial. Relembro brevemente os fatos: o Núncio no Equador pede a Roma a urgente substituição de Dom Marañón, porque ele e seu clero situavam-se “além da Teologia da Liberação”. Da Congregação De Propaganda Fidei pedem aos Arautos para assumir o vicariato. Passados menos de seis meses desde a instalação, verifica-se uma substancial volta à vida sacramental, depois de 40 anos de abandono pastoral. O problema não era a falta de sacerdotes, mas sim o fato de que muitos dos que lá estavam preferiam Marx a Cristo. Pois bem, os setores que hoje clamam pela abolição do celibato sacerdotal e a favor da ordenação dos viri probati fizeram pressão, inclusive politicamente, a fim de fazer cessar aquele fecundo apostolado, numa região tão carente e de maioria indígena. Nossa atuação ali, é preciso dizer, como em qualquer lugar, nunca foi centrada em temas políticos. Pelo contrário, permanecendo sempre no âmbito pastoral, foi feito o esforço de chegar a todos com o pão da Palavra e com o Santo Sacrifício. As pessoas da região agradeciam de coração nosso labor, como pode ser constatado até hoje.

Os Arautos, portanto, ofereceram sua disponibilidade à Santa Sé, e quando ela solicitou que se retirassem, o fizeram com presteza e na santa obediência. Testemunho disso é a carta enviada pelo Prefeito de Propaganda Fidei ao Superior Geral da época, dada a conhecer ao nosso plenário.

Permita-me um desabafo: o Brasil – tão famoso hoje graças ao Sínodo e também a certos comissariados! – é a nação do mundo com maior número de católicos, mesmo tendo caído de 95 para 50 por cento nos últimos 50 anos… Esperamos soluções para conter a hemorragia. Bento XVI depositava sua confiança em movimentos missionários, como os Arautos, ajudados pela graça de Deus: “omnia possum in Eo qui me confortat” (Fl 4,13). Outros depositam sua confiança nos “xamãs” e na “mãe terra”. E aqui me vem à mente a pergunta profética de Elias dirigida ao povo de Israel: “Até quando claudicareis dos dois pés? Se o Senhor é Deus, segui-O, mas se é Baal, segui a Baal!” (1Re 18,21).

***

Aproveito a ocasião para dizer que estão circulando questionamentos entre nossos amigos sobre as medidas extraordinárias adotadas pela Santa Sé com relação a nós. O principal deles se refere ao motivo efetivo do comissariado. Alguns irão dizer que, no fundo, existe a questão dos exorcismos, como muitos órgãos de imprensa afirmaram de modo temerário. Se assim fosse, por que estariam sendo comissariadas também as irmãs? E os leigos?

Da minha parte, no que diz respeito ao assunto em questão, confesso que tampouco entendo o que motivou um comissariado.

Além do mais, fazendo referência às respostas às oito perguntas finais apresentadas pelos visitadores, que os Arautos mencionam na nota de imprensa publicada por ocasião do comissariado, muitos querem saber se tanto os visitadores quanto a Congregação fizeram observações. A resposta é negativa. De fato, lá se encontra tudo explicado de modo exaustivo em 572 páginas, com mais de 18.000 páginas de anexos, entre documentos e testemunhos. Contudo, da parte dos canais oficiais, nem uma palavra… Por quê? Onde está o diálogo?

Depois, nos bons tempos da vida de cúria, antes de comissionar um Instituto, os superiores eram informados sobre as conclusões da visita. Em nosso caso, nem sequer isto! Qual o motivo?

Enquanto católico e advogado, espero que os meus confrades não se deixem martirizar como mansos cordeirinhos… Chegou, pelo contrário, a hora de agir como leões! De fato, sei que muitos pensam também assim…

Enfim, há poucos dias atrás, um irmão de hábito que trabalha em nosso arquivo me fez uma confidência muito reveladora… Ele me garantiu ter visto com seus próprios olhos vários relatórios confidenciais, de 2010 em diante, a respeito das afirmações pouco prudentes, para dizer pouco, de certa autoridade dicasterial — teria déficit de continência oral? —, que anunciava aqui, lá e acolá, desde a sua chegada na Urbe, o próximo “fechamento” dos Arautos; e isto muito antes de que tivesse chegado ali qualquer “denúncia”. Se de fato for assim, espero que a verdade venha à luz, e que se manifestem as intenções dos corações. Ficaria claro, então, que fomos “prejudicados” e que tanto os vídeos quanto as acusações difamatórias serviram apenas de pretexto. A sorte já estava decidida: delendi sunt…

Permaneçamos, porém, confiantes: por fim o Coração Imaculado de Maria triunfará!

Humberto Goedert

 

*      *     *     *     *

Cadastre-se no Blog e receba em primeira mão notícias atuais sobre os Arautos do Evangelho!

Os advogados admiradores dos Arautos também estão em ação no Facebook, no YouTubeno Instagram e no Twitter.

*     *     *     *     *

Assista ao depoimento de 6 minutos da advogada que passou sua adolescência numa das Casas de Formação dos Arautos do Evangelho:

46 comentários sobre “A carta de um arauto advogado sobre o Comissariado Pontifício para os Arautos do Evangelho

  1. Cardeal Raymundo Damasceno assegura a INTEGRIDADE dos Arautos do Evangelho.
    “É um sinal de carinho e de amor da Igreja para com essa família religiosa tão importante na Igreja que tem o seu papel, seu lugar, seu carisma próprio”.
    “Por isso, após aquela visita apostólica, a Igreja quer justamente colaborar com os Arautos para que eles sejam cada vez mais fiéis ao seu carisma, à sua missão na Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo. Por isso, estamos aqui, com esse espírito de serviço”!

    • Quer dizer então que o fechamento dos Arautos já estava decidido muito antes que qualquer denúnica houvesse surgido? Então elas foram planejadas, é o que parece. Isso explica tudo.
      Com a palavra, o cardeal Brás de Aviz…..

  2. Interessante. Para que comissariado, se a visita apostólica não foi apresentado nenhuma irregularidade. Algo muito premeditado e como resultado pronto. Que eles apresentem as respostas e provas documentais.

  3. No momento atual escutamos muito a palavra misericórdia. Frases do tipo: “Quem sou eu para julgar?” Mas o curioso é que julgam sem misericórdia as pessoas que querem fazer o bem para a Igreja Católica, como os arautos do Evangelho. E o que me deixa mais perplexa é que é com uma tal tirania e despotismo, que acho que se inspiram não na filosofia do Evangelho, mas sim na doutrina de regimes totalitários, onde as pessoas não têm direito à defesa.
    Qual foi o crime imperdoável que encontraram nos arautos? É a determinação de manter a doutrina católica tal qual Jesus nos deixou; os arautos seguem os 10 mandamentos da lei de Deus e não aderem à moda do pecado, como tantas pessoas de dentro da Igreja Católica estão fazendo. Os arautos são uma pedra no sapato das pessoas que querem destruir a Igreja e a humanidade. É por isso que sem direito nenhum, impuseram o comissariado. Onde está o diálogo e o perdão que demonstra ter por todas as religiões e crenças? Por que perseguem somente os católicos fervorosos? Por que não deram oportunidade para os arautos se defenderem e já decretaram a sentença? Isto me lembra dos primórdios da Igreja, na época dos Apóstolos, em que bastava ser cristão para ser condenado à morte e não adiantava se defender, pois as autoridades tiranas já haviam decretado a sentença.

  4. Esse texto aponta com extrema clareza os fatos. A mentira e as más intenções, rastejam sorrateiramente para destruir as árvores que dão bons frutos. Arautos, avançar sempre, desistir nunca! Viva Cristo Rei, Salve Maria!

  5. “Dentre aqueles que estão meditando sobre o puro e brilhante esplendor, alguns têm olhos claros e pés fortes, e estão marchando adiante vigorosamente no ventre da imagem!”

    Visão de Santa Hildegarda sobre a Igreja.

    • Já estava na hora de alguém dizer o que todos estão pensando. Afinal, temos não uma, mas duas promessas que nos garantem a vitória do bem sobre o mal, na história: “Nem as portas do inferno prevalecerão…” E “Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará!” Confiança!!!

    • O problema dessas pessoas que nos perseguem e das pessoas que as apoiam é que não são tão ignorantes o quanto pensamos, elas já tem um posicionamento. Pois damos os mais ricos argumentos de forma fácil ao entendimento das pessoas, e transmitimos a Verdade que buscam esclarecendo-as, mas ainda sim procuram sempre algo para nós acusar , e procuram com Curiosidade e não com busca. Segundo o Padre Pio de Pietrelcina a curiosidade é um defeito que destrói antes de tudo a Caridade, é um defeito que rompe o vínculo de amor com o próximo e, as consequências todos podem medir, só que uns mais outros menos. Se com essa carta as pessoas não param de Nós perseguir ainda quando com calma e paciência tudo lhes for explicado, é por que tem um posicionamento contra nós. Ora num jogo de futebol um torcedor do Flamengo não concorda com um torcedor do Fluminense, pois assim também um Revolucionario só busca as fontes de suas pesquisas em sites Revolucionários, e não considera qualquer site que favoreça a Contra-Revolução que é a Ortodoxia Católica. Assim também a Contra Revolução não considera nada da Revolução que é o Contrário da Igreja Católica. Quem é Cristão? Quem é Católico? Quem adora a Deus,cultua seus Santos, e respeita e ama as Autoridades Eclesiásticas, ou quem adora Demônios, e participa de outras religiões cultuado ídolos estátuas ou no mínimo pecando contra fé e ainda não é a favor da dignidade Eclesiástica respeitando as Autoridades eclesiásticas com todo o prestígio que devem ter? Espero que as pessoas que estão procurando a Verdade sobre essas notícias, desse artigo e desse Site encontrem o que procuram, sejam esclarecidas, nos apoiem pelas provas e pelos fatos em concreto e não se enfluenciem pelas pessoas que tem um posicionamento contra a Igreja e contra nós. A este site é a este artigo dou meu apoio.

  6. O que não faltam, são declarações honestas e sinceras sobre a Santidade de vida dos Arautos! Até por isso, quem lança acusações falsas, não faz o trabalho honesto de ouvir as partes. Vamos em frente! “Por fim, o meu Imaculado Coração, triunfará!”

  7. Ja tinha lido o artigo publicado no site do Dr. Marcos Tosatti.
    Achei todos questionamentos pertinentes. Mas, o que mais me chamou atenção o comentário sobre o hábito.

    Semana passada, o Papa Francisco comparou o cocar dos índios com o barrete dos Cardeais.
    Aí meu questionanto: se pode aceitar cocar de índio, porque não pode aceitar um hábito religioso?
    Lembro da máxima que aprendi no grupo: Quem é leão com os irmãos é cordeiro com os inimigos.

  8. As considerações do arauto advogado que assina a carta, Dr. Humberto Goedert, são as mesmas considerações de muita gente! Muita gente…

  9. Não houve a mínima imparcialidade nessa tal visita apostólica! Receberam uma exaustiva reposta dos Arautos, documentada e fundamentada, mas isso e “nada” para eles dá no mesmo, porque suas intenções já vieram intencionalmente orquestradas! Novamente a história de Nosso Senhor se repete com o Sinédrio e Pôncio Pilatos se unindo para porem em prática sua confabulação diabólica… Só que do lado de cá não existem ovelhas tontas e abobadas! Existem ovelhas que sabem morder e leões que sabem e vão atacar!

  10. A liturgia desses últimos dias tem deixado claro quem é quem. A de ontem então foi especial. Justamente no dia em que foi celebrada a primeira missa do comissariado.

      • Magnifica carta Dr. Humberto Goedert, descreve com maestria todos passos dessa trama sinistra, onde a lógica, a coerência, a verdade e o respeito são desprezados em todas as fazes de sua urdidura. Sua carta, como me comentou um amigo… “ se nesta questão existir uma declaração de guerra, essa carta é uma declaração de Guerra”.
        Ao terminar minhas oraçōes, ao ler uma Oração a Nossa Senhora, distribuida no ultimo Congresso me encantei. É o Estado de Espirito que devemos manter nesses dias de confusōes e traiçōes. Transcrevo essa parte:
        “O mal parece vencer e ter forças, mas nos não acreditamos nêle. Pois sabemos que somos filhos d’Aquela que esmaga a cabeça da serpente.”

        • Perdoe-me, senhor. Talvez a carta não seja principalmente uma declaração de guerra. Mas, antes, um eco do próprio Evangelho:
          “Eu tenho falado abertamente ao mundo; sempre ensinei na sinagoga e no templo, onde todos os judeus se reúnem, e não disse nada em segredo. 21Porque me interrogas? Interroga os que ouviram o que Eu lhes disse. Eles bem sabem do que Eu lhes falei.»
          22Quando Jesus disse isto, um dos guardas ali presente deu-lhe uma bofetada, dizendo: «É assim que respondes ao Sumo Sacerdote?» 23Jesus replicou: «Se falei mal, mostra onde está o mal; mas, se falei bem, porque me bates?»
          24Então, Anás mandou-o manietado ao Sumo Sacerdote Caifás”

  11. Apesar de conhecer muito os Arautos, para mim foram surpresas agradáveis ouvir como são e como agem. Para mim não lembram somente os Mosqueteiros, mas sobretudo os cavaleiros dos tempos das cruzadas, das batalhas em defesa da Europa contra invasões etc. O hábito é magnífico, como me disse um colega. Tem beleza, força, convicção religião e disposição de luta. Tem tudo, em última análise. Certa feita, um Gen de Ex. perguntou como conheceria um Arauto e outro General disse: quando vires na rua um rapaz com cabelo penteado, rosto limpo e iluminado, com ar de pureza e disciplina, aí o Gen está diante de um Arauto.
    Não pensemos que os Arautos são desprezados por usarem este traje. Pelo muitíssimo contrário! As pessoas ficam encantadas. E dizem como é Belo e de Deus. Avante Arautos. Os céticos poderão querer fazer chacota mas o riso dos céticos jamais deterá a marcha dos que têm Fé!!!

    • “[…]uma pergunta: se os Arautos são a reedição dos “mosqueteiros”, quem será hoje o maquiavélico Cardeal de Richelieu? E quem serão seus malévolos guardas?”
      Essa nem precisa desenhar. Está cristalina! E bem sabemos onde pretendem chegar. Mas sabemos, também, quem vence no final.

  12. De fato, esse texto reflete a totalidade dos Arautos. Temos algumas dúvidas e muitas certezas a respeito dessa perseguição gratuita. É bom que saibam, ou que ao menos tentem andar direitinho com relação aos Arautos. Porque não sei se a maioria está tão disposta a caminhar com a diplomacia de nossos superiores em relação a quem quer que queira nos fazer mal. Bom, se não souberem agir com os Arautos, ao menos tentem adivinhar quais seriam as muitas e possíveis consequências de um serviço mal feito. Expresso minha indignação!

  13. Eles estão pensando o quê? Se pensam, não falam. Se falam, falam mal! Não deveriam continuar estes questionamentos contra os Arautos do Evangelho. Quem está questionando, tem é que celebrar Missas todos os dias, atender confissões, parar de falar mal do bem… Chega!!! Por hoje…

  14. Realmente,eles usam de maldade com a instituição dos Arautos!!!Porque tanta severidade?Assim também o sinédrio agiu com Nosso Senhor e o cristão é um outro Cristo!!!

  15. Atualmente fazer o bem é motivo de perseguição. Por mais que os Arautos sejam perseguidos eles sempre terão em mente que o bem está feito, independente do reconhecimento da parte dos que o recebem.

    • Parabéns Dr Humberto, expressou da melhor forma possível, concordo em tudo com o que o sr disse.
      Mas a verdade virá rapidamente.

      Nada há encoberto que não venha a ser revelado; e oculto que não venha a ser conhecido (Lucas 12:2)
      ******************************
      Aguardemos e rezemos confiantes, pois “as portas do inferno não prevalecerão contra ela “.

  16. Gostaríamos de dar um testemunho, também nos assustamos com os Arautos , porque:
    Começar o dia louvando, agradecendo e pedindo bênçãos de Deus e depois receber o alimento espiritual antes do material e ainda ter uma segunda missa pra receber Jesus de novo? E mais assustados ficamos quando vimos esses meninos, jovens felizes por estarem crescendo em Santidade , mas eles tinham que usar pirceng e estar pichando muros. E as meninas com as calças rasgadas, mini blusas, mini saia, pois com 13 anos é comum . Mas o susto maior ainda foi participar de missa com mais de 100 Sacerdotes, religiosos e religiosas com uma GRANDE devoção e RESPEITO a Eucaristia e N Sra . Em que mundo vivíamos , por que não fomos apresentados aos Arautos antes? Mas graças a Deus recebemos esta bênção . Achávamos que os Arautos rezavam e faziam tudo demais, mas com o passar do tempo vimos que os outros fazem tudo de MENOS, quando aprendemos com eles que Jesus é o mesmo ontem , hoje e sempre, que Ele não mudará com a moda nem com a dança da chuva , mudamos nós e pode ter certeza: sem traumas.

  17. Parabéns! Estou Altamente Representado! Que Digam a Verdade, pois os Arautos do Evangelho nunca tiveram, não tem e nunca terão NADA ÀS ESCONDIDAS! Arautos do Evangelho sempre a Serviço da Santa Igreja de Cristo Redentor pela Intercessão de Nossa Senhora do Bom Conselho!

  18. Fica cada vez mais evidente que se trata de um jogo com cartas marcadas.
    Entretanto, se tratando de uma Obra de Nossa Senhora, tudo é lucro, inclusive esses ataques vindo de diversas frentes mas com uma cabeça comum…

    • Toda a carta resposta muito agradável e cheia de argumentos e simbolismos. Só sendo um membro dos Arautos para escrever assim com tanto primor. Quem será hoje o maquiavélico cardeal de Richelieu?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *